A Gratidão e a Neurociência

Quem não teve ainda um sentimento de profunda gratidão? Uma emoção que engasga e trazem mornas e suaves lágrimas, uma alegria e reconhecimento diante de uma ajuda ou quando se recebe um presente. Um desejo íntimo de devedor eterno, depois um gesto, uma atitude, de benevolência, de alguém que lhe estende a mão após um sufoco, um perigo de vida, um socorro no momento certo, uma luz no fim do túnel ou mesmo um favor quando tudo parecia perdido?

Os textos religiosos e filosóficos enaltecem esse nobre sentimento: “Agradeçamos a Deus os dons de amor, sabedoria e misericórdia. Saibamos manifestar ao Pai o nosso reconhecimento. Quem não sabe agradecer, não sabe receber e, muito menos, pedir. (Aniceto, página 83- Os Mensageiros, A. Luiz).

Hoje a Neurociência e a Psicologia a serviço da felicidade do ser humano vêm demonstrando através da pesquisa que não existe felicidade sem gratidão.

Segundo Todd Kasdan ( George Mason University) estudioso da ciência da felicidade, “se tivéssemos que nomear três elementos essenciais para criar felicidade e dar sentido à vida , estes seriam relacionamentos significativos, gratidão e viver no momento presente com atitude de abertura e curiosidade”.

Segundo os pesquisadores: Emmmons e, DeSteno, “As pessoas que manifestam gratidão exibem níveis elevados mais altos de emoções positivas, satisfação com ávida, vitalidade e otimismo. Dormem mais, fazem mais exercícios e sua pressão arterial e seus níveis de depressão e estresse são mais baixos. Demonstram ser simpáticas e conseguem ver as coisas pelos olhos dos olhos. Não negam ou ignoram os aspectos da vida, mas ampliam os estados associados a sentimentos agradáveis” (Currents Directions in Phychological Science).

A gratidão ativa o sistema de recompensa do cérebro, responsável pela sensação de bem- estar e prazer. Essa sensação de prazer tem um endereço no nosso cérebro, localiza-se no núcleo accumbens, quando o cérebro identifica que algo deu certo, que fomos bem sucedidos, há uma liberação de dopamina, neurotransmissor cujo mecanismo de ação inclui ação nos receptores dopaminérgicos, para este núcleo, a dopamina ativa essa regiãoo aumentando a sensação de prazer. Segundo a neurocientista Suzana Herculano-Houzel, o sistema de recompensa do cérebro é a base neurológica da satisfação e da auto-estima. A gratidão também estimula as vias cerebrais do afeto que relacionadas ao hormônio ocitocina, tranqüiliza, reduz a ansiedade, o medo e a fobia.

Seja Grato. Não é à toa que a palavra Obrigada faz parte das palavras mágicas, que abrem portas e transformam as pessoas.

Fonte: Os Mensageiros- André Luiz, Francisco Cândido Xavier

Mente e Cérebro ano XVI, número 188.

Planeta Ano 38, Edição 450, Março/2010

Bennet,W.J- O Livro das Virtudes I

Share

Deixe uma resposta

Seu e-mail não será publicado.

Por favor, digite os caracteres desta imagem na caixa de entrada

Please type the characters of this captcha image in the input box

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.

WhatsApp chat