TH- terapia hormonal na menopausa , ainda é viável?

Corria a década de 90, no auge da terapia de reposição hormonal; as pacientes na perimenopausa ( periodo que antecede a menopausa, nas proximidade desta fase) já procuravam os ginecologistas ansiosas por iniciar a terapia de reposição hormonal antes da menopausa. Muitas diziam não quero envelhecer, outras não quero perder meu marido, outras ainda comentavam: ” todas as minhas amigas tomam e questionam porque ainda não estou usando!”. Certos dos beneficios da terapia mas cautelosos, toda medicação tem efeitos colaterais , os ginecologistas avaliavam, mediam, liam , buscavam novas informações na busca do momento certo , da terapia mais adequada para cada paciente, quase todas saiam com suas receitas de hormonios nas várias apresentações e orientadas sobre o uso destas. Havia paciente que comparecia apenas para iniciar a terapia e nunca mais retornava. Naquela época, eu tinha assinatura da revista TIME e observei em alguns exemplares, que na America começava a surgir vários artigos sobre a soja e a reposição hormonal ( soja, amora preta, blueberries, inhame mexicano) isto porque muitas mulheres americanas se negavam a tomar os estrogenios; pessoas ligadas ao naturalismo e outras que achavam certo envelhecer de forma natural. Durante uma jornada de Ginecologia, aqui em Teresina, cheguei a questionar reservadamente após a palestra um renomado professor da USP sobre o uso da soja( até porque uma novidade desta e indo contra as inovações do momento, você fica receosa de parecer ridícula diante dos colegas questionando sobre algo que é apenas reportagem para leigos), o professor deu-me uma resposta curta e rápida :” Isto não tem comprovação científica”.
Os anos se passaram , em 2002, final do primeiro semestre a mídia científica e leiga solta uma notícia bombástica – o fim da era de reposição hormonal. Lembro-me da capa da revista VEJA – MULHERES TRAÍDAS PELA MEDICINA. Foi estarrecedor. Os consultórios lotados , as mulheres temerosas buscavam informações. Muitas suspenderam por contra própria suas terapias e, os próprios médicos ficaram extremamente apreensivos e temerosos , muitos afirmaram: Nunca mais vou passar hormonios para ninguém! As dúvidas foram dissipadas pouco a pouco,inúmeras revisões, novos estudos, novas orientações: Tratamento deve ser individualizado, avaliações mais rigorosas dos critérios de risco. Hoje apenas 1/3 a 2/3 da clientela da grande maioria dos consultórios de ginecologia seguem com a terapia hormonal da menopausa para alívio da sintomatologia. Drogas com metade da dose , novos compostos progestagênicos; estudos mostrando a segurança dos transdermicos, o uso dos derivados da soja – isoflavona, antidepressivos, uso da androgênios e muitas discussões nos congressos e reuniões da especialidade.
Segue o estudo KEEPS (Kronos early estrogen prevention study) e o ELITE ( Early versus late intervention trial with estradiol) , ambos estudos randomizados colaborativos de diversas universidades para estudar o benefício dos estrogenios na prevenção da doença coronariana em uma janela de oportunidade que é o momento em que a mulher entra na menopausa, quando os vasos sanguineos ainda não estão danificados , com arteriosclerose. Estes estudos ainda estão em seguimento, porém segundo os analistas ” a pesquisa clínica não identificou nenhuma janela de oportunidade após a menopausa durante a qual a TH possa ser considerada confiantemente livre de riscos. As mulheres de todas as idades que estejam recebendo TH para alívio de sintomas continuam necessitando informações sobre seus possíveis riscos, incluindo a doença coronariana crônica.” Continuamos ainda cautelosos, mas a terapia ainda não foi descartada.

Fontes: Am.J. Epidemiol 2009 Jul1, 170:24
www.clinicaltrials.gov/ct2/show/NCT001541180
www.clinicaltrials.gov/ct2/NCT00114517
JWatch.org.2009.29; 19 e 20

Share

Deixe uma resposta

Seu e-mail não será publicado.

Por favor, digite os caracteres desta imagem na caixa de entrada

Please type the characters of this captcha image in the input box

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.

WhatsApp chat