A Psicologia do Espírito.

Década de noventa, mais precisamente a partir de 1992, meus primeiros contato com a Psicologia Transpessoal e a Terapia A Vivências Passadas e a Programação Neurolinguística (PNL) foram através dos estimados professores   Maria Júlia Peres, Vera Saldanha, Leo Matos; posteriormente Tom Chung e Antonio Veiga. Seus conhecimentos e ensinamentos abriram para mim especial porta em busca da verdade além das aparências. Um caminho que levava a novos encontros, novos questionamentos que por si só geravam novas buscas e infinitas oportunidades de encarar o mundo; por que como dizia Antonio Veiga: A Ciência sempre é uma eterna caminhada, nunca uma chegada.

Rolo May no prefácio do seu livro: O homem à procura de si mesmo, diz: Uma das poucas alegrias da vida numa época de ansiedade é o fato de sermos forçados a tomar consciência de nós mesmos. A dolorosa insegurança que nos rodeia torna-se um incentivo a indagar: será que nos passou desapercebido algum importante manancial de força e orientação?

Essa luta é a redescoberta do Self, do Eu, do deus interior.

Uma literatura riquíssima me foi apresentada, e, avidamente eu devorava livros e livros que me enriqueciam e fortaleciam meus propósitos em busca de mim mesma e da conexão com meu Deus.

De tudo que lia me dava a mais límpida certeza de que o Homem é um ser divino e que além do corpo físico um mundo de energias e dimensões diversas nos conectam ao sagrado e a origem de tudo. Esta certeza me completava e assegurava uma serenidade interior capaz de ultrapassar obstáculos, vencer os mais temidos desafios e assegurar vida plena e simples.

Posteriormente encontrei uma nova linfa de conhecimentos. Foi com uma felicidade pueril e maravilhosa ver estes conhecimentos serem oferecidos de forma simples, compreensível, acessível a todos os que se aventuram nesta busca valiosa do autoconhecimento.

Desde Stalislav Grof em Além do Cérebro, A Aventura da Auto-descoberta, com as novas cartografias mentais, o deleite de aprender mais sobre o pensamento me fascinava. A visão psicológica de Joanna De Angelis aliando a Psicologia Humanística, Psicologia Transpessoal e a Psicologia Espírita dá um salto quântico neste autodescobrimento- nesta busca interior.

Joanna nos diz: A experiência do auto-descobrimento faculta ao homem identificar os limites e as dependências, as aspirações verdadeiras e as falsas, os embustes do ego e as imposturas da ilusão. O homem é o que acalenta no íntimo.

Porque se desconhece, vitimado por heranças ancestrais- de outras reencarnações-, de castrações domésticas, de fobias que prevalecem da infância, pela falta de amadurecimento psicológico e outros, o indivíduo permanece fragilizado, susceptível aos estímulos negativos, por falta de autoestima, do autorrespeito, dominado pelos complexos de inferioridade e pela timidez, refugiando-se na insegurança e padecendo aflições perfeitamente superáveis, que lhe cumpre ultrapassar mediante cuidadoso  programa de discernimento dos objetivos da vida e pelo empenho de vivenciá-la. Esta é a aventura do autodescobrimento inserida na Psicologia do Espírito.

Fontes:  1) Autodescobrimento -Joanna De Ângelis/Divaldo Franco. LEAL

2) Além do Cérebro e A Aventura da Autodescoberta- Stalislav Grof- Cultrix.

3) O Homem à procura de si mesmo- Rollo May- Vozes.

4) Maria Julia Prieto Peres e Antonio Veiga- apostilas Curso TVP.

*** Festa em Homenagem a Divaldo Franco/ Joanna De Ângelis :

Dia 24/02/18 às  19hs- Teresina Hall. Participe.

Contato: FEPI ou 32334111

Share

Deixe uma resposta

Seu e-mail não será publicado.

Por favor, digite os caracteres desta imagem na caixa de entrada

Please type the characters of this captcha image in the input box

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.