mai 20

Terapia e amor na loja virtual

Caros leitores,

Gostaria de anunciar que a partir de hoje o meu e-book Terapia e Amor está disponível para ser adquirido na nossa loja virtual.

Ele disponível em versão digital (.PDF) para compra e download no link abaixo:

http://katiamarabuco.com.br/loja/?wpsc-product=ebook-terapia-e-amor-1a-edicao

Quaisquer dúvidas, favor entrar em contato.

Share

mai 16

Hipotiroidismo subclínico e a pessoa idosa

A queixa de cansaço fácil do idoso e a alteração do colesterol pode estar associada ao hipotiroidismo subclínico.
O que é isto?
Hipotiroidismo subclínico (HSC) é determinado quando a taxa do hormonio estimulante da tireoide ( TSH) está elevada e o T4livre ( hormônio ativo produzido pela tireoide) está normal no soro. Isto ocorre com maior frequência nos idosos, é influenciado pela presença de doenças crônicas e pela diminuição da secreção e do metabolismo do T4l que ocorre com a idade.
As causas desta condição clínica no idoso são: Tiroidite de Hashimoto( inflamação da glândula), após a cirurgia na tireoide parcial ou total, após terapia com iodo radioativo. Estas são as mais importantes porém outras causas iodadas também interferem por exemplo o uso de contrastes iodados e a droga amiodarona, usada para o tratamento das arritmias cardíacas ( estudos mostram que pode acontecer mesmo anos após a suspensão da droga). Ainda é observado nos pacientes tratados com lítio por vários anos, além do tratamento do interferon alfa.
Os hormônios tireoideanos ( T3 e T4) também são muito importantes na regulação do colesterol, atuando em várias vias do metabolismo destas lipoproteinas.No hipotiroidismo há redução da síntese do R- LDL, este então facilmente se oxida e forma placas aterosclerótica.
A hiperlipidemia ( aumento do colesterol) causada pelo hipotiroidismo pode ser revertida pelo tratamento e reestabelecimento da condição de eutiroidismo ( normalidade da função da tireoide), porém é necessário cuidado neste tratamento, para não sobrecarregar o coração.
O hipotiroidismo influencia a mudança do ritmo, frequencia cardíca, função ventricular, aumento do risco de doença coronariana e risco de mortalidade cardíaca.
Doses elevadas levam à condição de hipertiroidismo e arritmias cardíacas com fibrilção atrial.
Portanto o tratamento deve se cuidadoso e individualizado para cada paciente, bem como acompanhamento rigoroso para a adaptação do organismo.
Fonte:
Romaldini & Santos – Experiência & Evidência.
Abbot

Share